4 dicas de benchmarking sobre empresas de nicho de bebidas

Promissor. Se tivéssemos que escolher uma palavra para definir o mercado de bebidas, provavelmente escolheríamos essa. Para se ter uma ideia, uma pesquisa realizada pela Mintel, Estilos de Vida do Consumidor Brasileiro, mostra que até 2019 os gastos do consumidor com esse tipo de produto deverão chegar na casa dos R$ 4,5 trilhões!

Embora, de fato, esse seja um mercado com inúmeras possibilidades, o fato é que o empreendedor precisa estudar bastante o cenário interno e externo para conquistar a sua fatia da clientela. E o primeiro passo para fazer isso é realizar um bom benchmarking. A pergunta que resta, portanto, é a seguinte: por onde começar? É o que vamos descobrir no post de hoje.

A seguir, você confere 4 dicas de benchmarking de nicho de bebidas. Confira!

1. Defina os objetivos

Em primeiro lugar, é fundamental definir com clareza quais serão os objetivos com a estratégia de benchmarking. Afinal, queremos melhorar processos internos para sermos mais eficientes? Ou, quem sabe, apostar em ações de marketing que realmente gerem resultados? Só é possível definir um plano de ação com precisão se respondermos essas perguntas.

Portanto, defina quais serão os objetivos que você pretende alcançar e, mais importante ainda, saiba quais serão as suas metas no curto prazo para que possa conquistar suas ambições de longo prazo.

Uma das prioridades mais comuns nos dias de hoje é a otimização de tempo na logística, por exemplo. Esse pode ser um bom objetivo em um benchmarking.

2. Utilize serviços de avaliação

Existem muitos serviços que podem ajudá-lo a desenvolver um benchmarking de nicho, no entanto, dois se destacam na área de bebidas: as consultorias e o chamado consumidor oculto.

As consultorias funcionam como uma forma mais impessoal de análise da sua empresa. O consultor vai avaliar cada processo do negócio, bem como os produtos e serviços oferecidos, depois ensinará as melhores práticas do mercado.

Por outro lado, o consumidor oculto pode ser uma forma de trabalhar na percepção da clientela em relação à sua marca e à concorrência, para compararmos as análises. É uma forma mais pessoal de avaliação, portanto.

3. Descubra os concorrentes reais

Ok, você pode trabalhar com bebidas, no entanto, isso não quer dizer, necessariamente, que toda e qualquer empresa que atue no ramo é concorrente. É preciso compreender quem são os competidores para fazer uma análise mais precisa de mercado, portanto.

Fazer um benchmarking de nicho significa compreender quais são as empresas que, de fato, dividem o mesmo público de interesse que o seu. Só assim você consegue melhorar a qualidade da sua análise e focar naquilo que realmente importa, trabalhando em processos e planos de ação realmente condizentes com o mercado.

4. Avalie o consumidor

Você já deve ter percebido que, embora o bechmarking seja uma análise da concorrência, conhecer mais sobre o consumidor também é fundamental, não é verdade? Afinal, precisamos saber, exatamente, para quem estamos vendendo. Dessa forma é que podemos saber quem são os adversários do mercado e, o que é mais importante, definir quais serão as estratégias utilizadas.

Não há como fazer um benchmarking de nicho, portanto, sem compreendermos profundamente qual é o público de interesse e os concorrentes que serão explorados!

Gostou do nosso post de hoje? Que tal conferir as nossas soluções?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This